7 etapas para ajudar seu filho a desenvolver autodisciplina

A autodisciplina é uma habilidade importante e essencial para se tornar um adulto totalmente funcional. Afinal, as crianças nem sempre terão um adulto por perto para ajudar a mantê-las no caminho certo. Ajudar seu filho a desenvolver autodisciplina não só os beneficiará, mas também tornará sua vida como pai um pouco mais fácil.

O que queremos dizer com autodisciplina?

Todos nós sabemos que a autodisciplina é boa, mesmo que nem sempre seja o nosso forte. Mas o que isso realmente significa?

A autodisciplina consiste em aprender a controlar os impulsos e permanecer no caminho certo, geralmente para atingir um determinado objetivo. A chave para a autodisciplina é aprender o valor da gratificação adiada; ou, dito de outra forma: resistir à tentação de uma recompensa imediata em favor de uma recompensa maior no futuro.



Outra maneira de explicar isso a seu filho é desistir de algo que você deseja em favor de alcançar algo que deseja ainda mais.

Por que a autodisciplina é importante?

A autodisciplina é uma habilidade necessária em crianças e adultos de todas as idades. Muitos estudos têm mostrado repetidamente que crianças que exibem autodisciplina têm melhor desempenho acadêmico, são mais propensas a ser mais saudáveis ​​e mentalmente estáveis ​​e ter sucesso mais tarde na vida.

Como adultos, sabemos o valor da força de vontade e, quanto mais cedo na vida a autodisciplina e a autorregulação forem dominadas, melhor.

Ensinar autodisciplina a seus filhos os ajudará com os trabalhos escolares e atividades extracurriculares, e também ajudará você, tornando-os mais independentes e autossuficientes.

7 etapas para ajudar seu filho a desenvolver autodisciplina

Dê um bom exemplo

Como acontece com qualquer bom comportamento, a melhor maneira de ensinar autodisciplina é modelando-a você mesmo. As crianças aprendem muito com os adultos. Se eles virem você negligenciando suas tarefas para assistir TV, é provável que adotem hábitos semelhantes. Anote as áreas em que você luta com autodisciplina e trabalhe para melhorá-las para dar um bom exemplo.

Você pode até iniciar uma conversa com seu filho sobre como às vezes você luta contra a força de vontade, mas está determinado a melhorar seu comportamento. Esperamos que isso dê aos seus filhos a inspiração para fazer o mesmo.

Remova as tentações

Quando seus filhos estão começando a praticar a autodisciplina, pode ser útil remover o máximo de tentações possível. Os adultos podem perder toda a força de vontade baseada na dieta ao ver um donut, e é ainda mais difícil para as crianças.

Guarde os brinquedos ou eletrônicos enquanto eles fazem o dever de casa e guarde os lanches saudáveis ​​na frente da geladeira e da despensa. Você pode explicar o que está fazendo e ajudar seus filhos a identificar e remover tentações por conta própria no futuro.

Introduzir consequências

Às vezes, enfrentar as consequências de nossas ações é a melhor maneira de aprender uma lição valiosa. Explique a seus filhos as consequências que enfrentarão se fizerem escolhas erradas. Isso pode ser algo que você imponha, como um tempo sem tela se eles não limparem o quarto. Também podem ser consequências naturais, como sentir frio se estiverem desorganizados e se esquecerem de levar um casaco para a escola.

Você pode modelar um bom comportamento em torno disso. Faça um show ao reconhecer as consequências em sua própria vida. Você pode dizer 'Quero comer um pedaço de bolo no almoço, mas sei que, se o fizer, vou me sentir cansado ou enjoado mais tarde, então, em vez disso, vou comer um sanduíche'.

É importante que seus filhos sejam capazes de identificar e evitar consequências por conta própria, sem precisar que você os indique. Depois de explicar o resultado da falta de autodisciplina, cabe a seus filhos fazerem suas próprias escolhas.

Comunique o motivo por trás das regras

É muito bom introduzir regras sobre a hora de dormir e a hora da tela, além de comida e dever de casa. Mas se você não explicar o raciocínio por trás deles, eles parecerão um conjunto arbitrário de regras contra as quais seu filho pode querer se rebelar.

Em vez de dizer 'faça sua lição de casa porque eu disse', você pode dizer 'se você fizer sua lição de casa agora, você terá muito tempo livre para brincar depois do jantar'. Pequenos lembretes de por que existem regras irão, com o tempo, ajudá-los a aprender a definir suas próprias regras e desenvolver habilidades disciplinares.

Recompensa o autocontrole

É sempre melhor recompensar o bom comportamento das crianças do que punir incidentes ruins. Se você notar que seu filho está exercendo uma boa autodisciplina ou fazendo escolhas excelentes, diga a eles que você já viu. Comentários simples elogiando o comportamento deles, como “bom trabalho ao levar seus pratos para a pia depois do jantar sem serem convidados” podem ajudar muito a reforçar os bons hábitos. Você também pode introduzir um sistema de recompensa, como um gráfico de adesivos, para motivá-los a serem autodisciplinados.

Seja empático

Dê a seus filhos muito espaço para sentir suas emoções. Se estiverem chorando, permita que identifiquem e regulem suas próprias emoções, em vez de dizer 'pare de chorar' ou 'não há razão para ficar triste'. Peça-lhes que falem sobre seus sentimentos e juntos vocês podem pensar em maneiras de lidar com o que estão vivenciando. Os especialistas chamam isso de 'treinamento emocional', e tem demonstrado ajudar as crianças a desenvolver habilidades de pensamento racional, que por sua vez são muito úteis para a autodisciplina.

Dê um passo de cada vez

As crianças não vão aprender a autodisciplina durante a noite. E, assim como os adultos, algumas crianças podem lutar muito mais com isso do que outras. É um processo que se desenvolverá ao longo de muitos anos, então é tudo sobre perseverar e continuamente modelar e elogiar o bom comportamento. Dê um passo de cada vez e não espere muito de seus filhos, especialmente quando eles são pequenos.

Comece dando bons exemplos, explicando os conceitos de disciplina e consequências e implementando sistemas para ajudar a lembrá-los da coisa certa a fazer. Com o tempo, isso vai começar a vir naturalmente.